DISPOSTOS ATÉ QUE PONTO? – Farley Labatut

16/10/2019

Acho até engraçado que alguém acredite que pode obter intimidade com o Senhor ou conhecê-Lo com profundidade, sem gastar tempo com Ele. Oferecer nosso tempo de qualidade, creio ser um de nossos primeiros e principais atos de entrega. A intimidade requer dedicação e abdicação, e isto exige que muito tempo seja dedicado para se estar junto.

Em minha adolescência li um livro chamado “Nem Uma Hora”, uma referência ao texto de Mateus 26.32, onde Jesus ora no Getsêmani. Pouco antes de ser traído, Ele que alguns dos discípulos orem com Ele, mas eles logo pegam no sono. Então Jesus se aproxima deles e pergunta: “Nem uma hora pudestes vigiar comigo?”

Larry Lea compartilha que a vida de oracão tem três fases A primeira é a da obediência, onde passamos a orar como um compromisso, sabemos que precisamos orar, e simplesmente obedecemos. A segunda é a fase do hábito. E nela já estamos habituados a separar um tempo diário para o Senhor, e esta tarefa já não é mais tão difícil como no começo. E a terceira, é a fase do deleite na oração, onde nos tornamos apaixonados por ela, pela sensação maravilhosa e insubstituível de se estar com Deus e falar com Ele.

Eu coloquei isto em prática, e ainda adolescente, eu acordava todas as manhãs e orava das nove às treze e trinta horas, este foi meu compromisso. Vi todas estas fases acontecerem em minha vida, e até hoje sou completamente apaixonado pela oração, mesmo não podendo hoje dedicar a ela todo tempo que desejo. Por dois anos eu mantive este ritmo de oração. Não demorou muito para que as quatro horas e meia não fossem mais suficientes, e por diversas vezes eu voltava a orar após o almoço. A oração se tornou uma paixão, a ponto de, quando eu não estava em minha casa, com o secreto do meu quarto a disposição, precisar encontrar um banheiro, ou praça, ou sala vazia, para onde eu pudesse escapar e ter meu tempo a sós com Deus, com Seu Espírito.

Meus pais tinham uma casinha na baia de Antonina e por diversas vezes eu me retirei para lá, para ficar sozinho por até 14 dias. Apenas eu e Deus, um tempo somente nosso. Eu não tenho palavras para explicar o que estes momentos a sós com Ele me trouxeram e me trazem até hoje.

Gostamos muito de espiritualizar tudo, mas existem coisas que são práticas. Para elas não existem fórmulas ou palavras mágicas. Não existem métodos didáticos ou cursos à distância. Não existe alternativa, senão a diligência dia após dia em direção ao propósito. A vida no Espírito é construída diariamente. Encontros com Deus podem ser feitos em nossos quartos, ou escritórios a portas fechadas, ou debaixo de uma árvore em um parque tranquilo, ou na areia da praia durante um dia frio de inverno, mas estes encontros precisam ser diários.

Quando estou sozinho com Deus, posso falar com Ele de forma íntima. Não preciso escolher as palavras para me expressar, não preciso ficar pensando em como a minha imagem vai ficar ao falar com Deus sobre minha fácil irritabilidade no trânsito, ou a dificuldade que às vezes sinto de crer nas promessas, ou a dificuldade que já senti de ter amor sincero por Ele.

Tenho aprendido que, como em qualquer outro relacionamento profundo, a sinceridade e transparência são essenciais. Sabemos que Deus conhece o mais profundo de nosso ser, todos os pensamentos, pecados, desejos, vontades, temores, dúvidas, mazelas, sonhos; porém, quando procuramos nos fazer conhecidos d’Ele, Ele também trata de fazer-Se conhecido a nós.

Pessoas realmente íntimas de Deus são dia após dia transformadas em Sua presença. Elas passam tanto tempo conversando e compartilhando de Seu coração, de Sua mente, de Seu Espírito, de Sua vida, que acabam ficando cada mais parecidas com Ele.

Como disse Bill Hybels em seu maravilhoso livro “Ocupados Demais para Deixar de Orar”

“Analisando sob qualquer prisma, o componente mais importante do cristianismo autêntico é o tempo. Não o tempo que sobra, o tempo jogado fora, mas o tempo com qualidade. Tempo para contemplação, meditação e reflexão. Sem pressa, sem interrupção”

Quanto tempo você tem dedicado ao seu relacionamento com Deus? Um tempo que não é para mais ninguém, nas para vocês dois?

A desculpa mais frequente daqueles que não tem vida de oração é: Passo todo o tempo em espírito de oração! Isto não convence, não satisfaz. Estar em espírito de oração, ou melhor, orando em seu espírito o tempo todo, é muito importante. Mas o que sua esposa, ou esposo diria se você estivesse com ela ou ele, apenas em momentos onde está ocupado com outras coisas, ou com outras pessoas?

Não existe uma saída alternativa, ou um método super dinâmico para a obtenção da intimidade Divina ou enchimento do Espírito. Alguma coisa boa precisará ser deixada de lado, alguns convites de amigos para passeios atraentes precisarão ser rejeitados, talvez algumas horas de sono precisarão ser abdicadas. Tudo para se ter tempo de qualidade com Ele. Certa vez eu ministrava uma pessoa e o Senhor me disse de forma muito clara: “Diga a ela, que sinto saudade dos períodos de oração em que ela ficava a sós Comigo”.

Todos os grandes homens e mulheres de Deus foram pessoas que dedicaram muito tempo para estar com o Senhor. Quando dedicamos tempo para estar com Deus, para conversar com Ele, ouvi-Lo, para senti-Lo, para conhecê-Lo, somos transformados em Sua presença. Algo novo de Deus entra em nossas vidas nestes momentos, toca nosso caráter, e nos aproximamos cada vez mais de nosso alvo: Sermos semelhantes a Jesus! Se você é casado, sabe quanto o tempo nos torna parecidos com nossos cônjuges. Passamos a comer coisas que antes não comíamos, a ver coisas que antes não víamos, a ouvir músicas que antes não ouvíamos, a pensar de uma forma que antes não pensávamos. Num belo dia você está em uma roda de amigos e alguém tece um comentário, os dois apenas se entreolham e percebem que um sabe exatamente o que outro está pensando. Você não consegue perceber quando esta conexão acontece, porque ela é construída aos poucos. A unidade nasce da intimidade, e esta é gerada quando se dedica tempo um ao outro. Com Deus não é diferente.

“Do céu olha o Senhor para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus”
Salmo 14.2

Que Ele nos encontre dispostos a gastar tempo com Ele diariamente.

Texto extraído do livro “Marcados Pelo Espírito”

Autor: Farley P. Labatut é pastor na Comunidade Alcance de Curitiba. Além de servir na igreja local, liderando os ministérios de ensino de jovens, ele tem se dedicado a servir o Reino.

Newsletter

Onde Estamos

SEDE ADMINISTRATIVA
Rua Maranhão, 1039
Água Verde - Curitiba/PR
CEP: 80610-000

Fale Conosco

contato@orvalho.com